Skip to main content Skip to search
Largo da Misericórdia, 24 - CJ 52 - 8 Andar - SÉ / SP
Seg - Sex: 8:30 - 17:30
(11) 3258-1266
contato@abaxcorretora.com.br

Blog

TREPIDACOES E COLISOES PODEM AFETAR O FACHO DE LUZ DOS FAROIS DOS VEICULOS E COMPROMETER A VISIBILIDADE DO MOTORISTA - FACEBOOK

Trepidações e colisões podem afetar o facho de luz dos faróis dos veículos e comprometer a visibilidade do motorista

Saiba quais são os cuidados na hora da revisão para análise do alinhamento e estado dos faróis.

As trepidações em pistas irregulares e colisões podem alterar a posição do facho de luz dos faróis. A Arteb, um dos principais fabricantes mundiais de sistema de iluminação automotiva, destaca várias dicas para o motorista manter o sistema de iluminação do veículo em boas condições, garantindo visibilidade em qualquer situação.

Ao fazer a revisão preventiva para verificar a necessidade de alinhamento dos faróis é importante também analisar as condições das lentes. Quando amareladas, com riscos profundos ou trincadas podem comprometer o foco de luz. “Os faróis sofrem desgastes devido não só ao tempo de uso, mas também utilização de alguns produtos durante a lavagem do carro ou infiltração de água”, explica o engenheiro da Arteb, Egidio Vertamatti.

Para fazer a avaliação completa dos faróis, a recomendação é levar o veículo a uma empresa especializada e, caso haja a necessidade de trocar lâmpadas ou faróis, efetuar a substituição em pares para não causar desequilíbrio de luminosidade.

Componentes fundamentais para trafegar com segurança pelas vias, os faróis, lanternas e piscas devem estar em perfeitas condições para garantirem uma iluminação adequada. Além da questão da segurança no trânsito para motoristas e para passageiros do veículo e também pedestres, o sistema de iluminação pode causar prejuízos financeiros. O artigo 223 do Código de Trânsito Brasileiro define que transitar com o farol desregulado ou com o facho de luz alta de forma a perturbar a visão de outro condutor é infração grave, que resulta em multa e cinco pontos na carteira de habilitação do motorista. De acordo com dados apresentados pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), de janeiro a agosto de 2018, 2.295 multas foram aplicadas no Brasil por transitar com o farol desregulado ou com o farol alto perturbando a visão de outro condutor.

Responsável pela fabricação de faróis para diversas montadoras, a Arteb desenvolve sistemas de iluminação atendendo as exigências de diversas certificações que atestam a qualidade de seus produtos, entre elas, ISO 9001, Norma IATF 16949:2016, ISO 14000, certificações específicas para atender a Argentina (IRAM) e Europa (UCA) e Q1, recebido da Ford. Possui laboratório Arteb creditado e credenciado Inmetro NBR ISO/IEC 17025, integrando-se à Rede Brasileira de Laboratórios de Ensaios (RBLE) que permite realizar vários testes, conferindo aos produtos qualidade, eficiência e tecnologia de ponta.

 

Fonte: Portal do Trânsito

Saiba Mais
Crimes cibernéticos causaram cerca de US$ 550 bilhões em perdas no ano passado, segundo a AON

Crimes cibernéticos causaram cerca de US$ 550 bilhões em perdas no ano passado, segundo a AON

Os crimes cibernéticos causaram cerca de US$ 550 bilhões em perdas no ano passado, segundo a Aon, empresa global de serviços profissionais, que oferece ampla gama de soluções em riscos, previdência e saúde e gestão de riscos cibernéticos.

O relatório Cyber Security Insights da Norton, uma divisão da Symantec, aponta que, em 2017, o Brasil foi o 2º país com o maior número de crimes cibernéticos no mundo, sendo superado apenas pela China. De acordo com o estudo, mais de 62 milhões de brasileiros foram impactados de alguma forma, gerando um prejuízo de US$ 22 bilhões. O phishing é o tipo de ataque mais comum registrado no país, sendo o celular o dispositivo mais atacado.

Para o mundo corporativo, os efeitos podem ser ainda mais expressivos, seja por conta de vazamentos de informações confidenciais ou pelo não cumprimento de normas ou leis de proteção de dados, como a europeia, General Data Protection Regulation (GDPR), e a brasileira, Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGDP).

De acordo com a Pesquisa Global em Gerenciamento de Riscos da Aon, crimes cibernéticos são a 5ª maior preocupação dos empresários, que analisam formas de mitigação e gestão dos riscos de suas empresas. A melhor maneira de manter sua companhia segura é estar preparado. Todo investimento e conscientização são de extrema importância para tornar mais eficiente a resposta e reduzir os custos de um crime cibernético.

Com o objetivo de conscientizar as organizações e o mercado sobre este risco iminente, a Aon está investindo em uma campanha voltada a apresentar as melhores práticas para a gestão, prevenção e mitigação dos riscos cibernéticos abordando todos os passos e cuidados que uma empresa deve ter desde a revisão e gestão da estrutura de TI, educação de colaboradores, plano de ação de comunicação, além do seguro.

A iniciativa tem como ação principal a criação de um Portal com conteúdos exclusivos e didáticos sobre o tema que estão sendo amplamente divulgados nos canais digitais da empresa e campanha de mídia. A Aon é também uma das empresas que compõe o Privacy Hub, formado por grandes empresas, como Brunswick, DataGuidance, Fieldfischer, PwC e Symantec, que visam educar e trabalhar juntos no combate do Risco Cibernético.

Conforme o risco cibernético vai se tornando mais conhecido, empresas buscam ações preventivas e planos reativos para lidar com os ataques. O papel das corretoras e consultorias de seguros é atuar na conscientização sobre a prevenção e suporte em casos de ataques. Além do desenvolvimento de um programa de seguros que consiga oferecer proteção para a empresa, incluindo custos com a gestão de crise.

“Gerenciar de forma eficaz exige segurança da informação e líderes de risco trabalhando em conjunto. Por isso, a melhor opção é a contratação de um seguro específico, que possa compreender a extensão da cobertura e pensar na segurança cibernética de forma holística, avaliando todas as vulnerabilidades para garantir a proteção total dos sistemas. Ou seja, com o seguro, as empresas têm à disposição uma ampla oferta de serviços que elas não possuiriam por conta própria”, comenta Marco Mendes, Cyber Insurance Developer da Aon.

Desde a segunda quinzena de agosto deste ano, quando o Presidente Temer aprovou a PLC 53/2018, a procura por essa solução aumentou aproximadamente 115% e gerou um volume de contratação 50% maior para o período.

Segundo um levantamento recente conduzido pela Symantec, em 2017, os ataques cibernéticos cresceram 44%, totalizando mais de 200 milhões de incidentes. Os alvos mais comuns foram instituições financeiras, companhias de tecnologia, varejo, provedores de serviço e o setor público. Sendo que os dispositivos mais atacados foram os celulares.

“Há mais de 10 anos somos líderes na gestão de riscos cibernéticos na Europa e nos Estados Unidos. Nossa equipe conta com um dedicado time de mais de 100 profissionais mundialmente com ampla capacidade técnica, experiência em melhoria de coberturas, estreitas relações com seguradoras e gestão de sinistros. Isso nos garante um know-how para identificar, quantificar e mitigar as ameaças cibernéticas”, afirma Marco Mendes. “Não é à toa que a Aon registrou um crescimento exponencial na busca por seguro cibernético no Brasil”, acrescenta Mendes.

Até o momento, os principais clientes da Aon são instituições financeiras, prestadores de serviços de tecnologia e empresas do setor de indústria e saúde. “De uma maneira geral, as empresas terão 18 meses para se adaptarem às regras da LGPD. A maior parte das companhias deve procurar fornecedores que as ajudem nesse processo. Por isso, acreditamos que o mercado continuará bem aquecido”, finaliza Mendes.

Fonte: Revista Cobertura

Saiba Mais
O-VALOR-DO-SEGURO-DOS-CARROS-MAIS-VENDIDOS-NO-BRASIL-EM-SETEMBRO

O valor do seguro dos carros mais vendidos do Brasil em setembro

Alternância de posição entre HB20 e KA volta a ser destaque na lista dos mais vendidos; Novo Polo cai de posição, mas consegue se manter no ranking e Corolla volta a estar entre os mais vendidos.

A Minuto Seguros, uma das principais corretoras do País e líder no segmento de seguros online, acaba de realizar um estudo com base na lista divulgada pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) com os carros mais vendidos no Brasil em setembro. O Onix, da Chevrolet, após o melhor mês de vendas em mais de 12 meses, teve uma queda em setembro: foram 17.981 unidades comercializadas contra as 21.763, de agosto, cerca de 17% a menos. Em comparação com o mesmo período do ano passado, as vendas do Onix tiveram uma leve subida, com 745 carros vendidos a mais em 2018. O Prisma, com bons resultados de vendas nos últimos meses, subiu algumas posições e agora está em 5º lugar, com 6.532 carros emplacados, contra as 6.119 unidades de agosto.

O HB20, voltou a cair para terceira colocação, após três meses em ascensão de vendas. Em setembro foram 8.626 unidades vendidas, menor número desde maio, quando teve 8.292. Mesmo com essa queda, o hatch da Hyundai ainda é o segundo carro mais vendido do Brasil, beirando as 80 mil unidades. O agora segundo colocado, Ford KA, também teve queda nas vendas, reflexo da diminuição geral da comercialização de veículos – pelo menos dos dez mais, já que em agosto foram 85.277 e em setembro 75.663. O terceiro colocado em vendas gerais no Brasil, comercializou 8.680, apenas 34 a mais que o HB20. Em 2018, o Ford KA já comercializou 76.618 unidades. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o Ford KA apresentou certa estabilização, com 1%, o que representa 133 carros a mais.

O Kwid, que no mesmo período do ano passado havia se tornado o segundo carro mais vendido do mês com a comercialização de 10.358 carros, manteve-se na lista dos carros mais vendidos do Brasil, mas agora na sétima posição com 5.486. A queda de vendas do popular da Renault pode ser explicada ou pelos seguidos aumentos de preços ou pelo ineditismo do lançamento, ocorrido no ano passado. No entanto, a presença de novos modelos no ranking, como o Argo, Kwid, Novo Polo reforçam que o mercado automotivo está alternando e se renovando, principalmente com a saída de populares tradicionais, como o Palio e o Clio.

O Corolla voltou a figurar na lista dos mais vendidos mesmo com queda nas vendas: saiu de 5.238 em agosto e emplacou 4.774 em setembro. O Compass se consolida como uma das preferencias entre os compradores de automóveis, na nona posição, com pouco mais de 5 mil unidades. No ano passado o Compass também estava entre os 10 mais, mas com quase mil unidades a menos.

Para realizar o estudo, a Minuto Seguros considerou como perfil um condutor homem, de 35 anos e casado. Foram avaliados os preços dos seguros em quatro capitais (São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Ceará) e no Distrito Federal.

Dentro do perfil mencionado, o preço do seguro para o Kwid, novamente, é o que apresenta a menor diferença entre as capitais cotadas. O valor mais alto está em Fortaleza com R$2.242 e o menor em Brasília, por R$1503, uma distância de R$390. No contraponto de diferença de valores, o Corolla é a que possui a maior diferença entre estados: R$2.268. A mais alta também em Fortaleza, R$ 5.476, e a menor em Brasília, com R$3.208. Brasília é a cidade com seguro mais barato para todos os carros. Nos seguros com valores mais altos, Fortaleza e Curitiba empatam, com cinco modelos para cada lado.

Detalhes da cotação

Capitais: São Paulo (SP), Curitiba (PR), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG) e Fortaleza (CE).
Seguradoras: Azul, Aliro, Allianz, Bradesco, HDI, Itaú, Liberty, Sompo Seguros, Mapfre, Mitsui, Porto Seguro, Tokio Marine e Sulamerica.

Perfil: Homem, 35 anos, casado.

Plano: Cobertura de terceiros de R$ 100 mil.

Fonte: Revista Cobertura

Saiba Mais
post

A grande mudança para um seguro mais honesto e mais justo

*Gustavo Vieira Doria Filho

O seguro é um recurso utilizado há milênios para que a sociedade possa se proteger dos infortúnios imprevisíveis. Hoje, o setor vem passando por uma extrema transformação devido a evolução tecnológica, na medida em que fica cada vez mais fácil conhecer as pessoas e os seus hábitos através dos aplicativos e redes sociais.

A principal transformação para o consumidor dos seguros mais populares, como o de automóvel, é a evolução do conceito de perfil para o de persona. Isso significa, de forma resumida, ser mais especifico com os hábitos de cada segurado, gerando um custo mais justo de acordo com o estilo de vida de cada um.

Um exemplo prático seria o meu caso: 55 anos, casado, morador de Itapuã, com dois filhos. Dirijo sempre de forma defensiva, evitando freadas bruscas e respeitando os limites de velocidade. Porém, tenho um vizinho que tem o mesmo “perfil”, mas ele é ex-piloto de kart, abusa das freadas bruscas e velocidade é algo normal para ele. É justo pagarmos o mesmo preço de seguro de automóvel?

Claro que não, mas enquanto as seguradoras fizerem o preço do meu seguro baseado apenas no meu endereço, idade e composição familiar, estarei subsidiando o seguro do meu vizinho. O seguro é contrato baseado no mutualismo, ou seja, as pessoas do mesmo perfil têm o mesmo prêmio (o que a pessoa paga pelo seguro) e o preço final é baseado na experiência, ou utilização, do seguro no ano anterior.

Com as tecnologias existentes, especialmente IOT – também conhecida como “internet das coisas” – é possível monitorar a forma que a pessoa dirige e, consequentemente, fazer o preço do seguro mais justo de acordo com o estilo de vida de cada um.

Outro ponto importante é que a Inteligência Artificial já vem sendo utilizada para a análise dos sinistros (evento que gera perdas para o segurado) e a máquina consegue ser mais criteriosa do que o olhar humano, prestando atenção a detalhes específicos e reduzindo de forma significativa o volume de fraudes.

Como já falamos, o principal componente do preço do seguro é o volume de indenizações pagas no ano anterior. Portanto, cada vez que alguém frauda um seguro de um Ford Fiesta 2017, por exemplo, todos aqueles que têm um veiculo similar vão ratear este prejuízo criminoso, pagando o preço do seguro do ano seguinte.

Assim, cada vez que a tecnologia de inteligência artificial evita que um fraudador utilize indevidamente a sua apólice, ela está garantindo um seguro mais justo para o restante da sociedade.

Todo desenvolvimento da tecnologia deve servir para melhorar a experiência do cidadão e oferecer mais qualidade de vida. A indústria do seguro vem investindo forte para garantir um seguro mais justo e honesto para proteger melhor a cada um de nós.

Por Gustavo Vieira Doria Filho, idealizador do CQCS Insurtech & Inovação.

O CQCS Insurtech & Inovação realiza evento internacional nos dias 1 e 2 de agosto, no Villa Blue Tree São Paulo, e terá as mais modernas seguradoras do mercado, insurtechs, aceleradoras, investidores e empreendedores do setor.

FONTE: REVISTA COBERTURA

Saiba Mais
abax

Como se proteger com as mudanças tecnológicas?

Esse foi um dos temas tratados no Congresso CIAB Febraban, que levantou como se proteger dos riscos cibernéticos com as novas soluções que surgiram, como chatbots e Google Home, por exemplo. E tratar de proteção com a tecnologia sempre trazendo novidades é um grande desafio.

Assim como disse o VP Worldwide Consulting Sales da Cylance, Steve Struthers, durante sua palestra sobre o tema. “Parece que toda hora eu recebo um telefonema de alguém com algum tipo de incidente e isso é muito desafiador, porque quando pensamos que vai ficar mais tranquilo com uma nova ferramenta, acontecem mais três ligações. Lidamos com tudo ao redor do mundo, verificando o que está acontecendo nas empresas e o maior problema está nos negócios como sendo os maiores alvos de ataques”.

Ele comenta que muitas pessoas pensam que ataques estão relacionados somente a empresas grandes. “Porém, nos EUA, existem empresas grandes e pequenas que não têm recurso de TI, centro de operações de segurança, resposta interna para o problema. Existem ataques que são diretos para os e-mails, por exemplo”.

E neste caso dos e-mails, um exemplo citado é o aparecimento de um link com o nome de uma empresa conhecida, como Microsoft.com, que induz o usuário a clicar e assim ser uma janela para um crime cibernético. “É por isso que as pessoas precisam ser mais treinadas, para terem um olho clínico. Se o celular não for seguro, por exemplo, e você recebe esse e-mail nesta plataforma, o intruso consegue entrar em todas as ferramentas. E ataques como esses serão mais comuns nos próximos 20 meses”, ressalta Struthers.

O executivo também lembra que em abril de 2016 houve um registro de U$1,5 bilhão, referente a perdas com ataques. “E isso está começando a aumentar, com perda de ataque a base de clientes, fazendo com que a empresa tenha que reconstruir o ambiente para levar segurança ao cliente”. E ele ainda completa ao dizer que “neste o custo operacional não está capturado neste valor”.

Nelson Murilo, assessor de cyber segurança do Banco do Brasil, disse que agora há uma tendência para os aplicativos e por isso é preciso melhorar como as informações são disponibilizadas. “Na Índia, o uso inseguro de API permitiu vazamento de 2,2 milhões de dados de usuários. Dados incluem nome, emails, telefone, endereço, coordenadas GPS da residência e logins das redes sociais. Quando trabalhamos com API’s temos que prestar atenção sobre quais dados você disponibiliza para o público”.

O diretor de inteligência cibernética e pesquisa da New Space, Thiago Bordini, diz que esse ano a tendência ainda é a vulnerabilidade de dados pelas empresas. “2017 foi o ano de grandes vulnerabilidades, o ano do vazamento de dados, e acredito que para esse ano não será diferente. No ano passado houve o dobro de vulnerabilidades documentadas em relação ao ano anterior. Por isso já temos ações em relação a esse problema, com projetos que podem facilitar a proteção e implementar bloqueios nas empresas”.

(Fonte: Revista Cobertura)

Saiba Mais
muros-residenciais-deixe-sua-casa-mais-bonita-sem-perder-a-seguranca-01

Muros residenciais: deixe sua casa mais bonita sem perder a segurança

Morar em grandes cidades pode dar a impressão de que tudo é muito cinza, muito escuro e sem vida. Casas de muros altos, alguns com pichação são, diversas vezes, o cartão de visita da cidade. Mas é possível torná-los bonitos sem perder a segurança!
Veja algumas opções que conciliam design e segurança para sua casa não ficar exposta e manter uma ótima aparência.

Muros de vidro

Um dos aspectos mais importantes da segurança é poder ver. Quando a casa é cercada por um muro alto tradicional não é possível ver o que se passa na rua ou se há alguém esperando do lado de fora. Os muros com partes em vidro, além de serem bonitos, possibilitam que você tenha visão do que se passa na rua a todo o momento.

Muros verdes

Muros verdes

Hoje, é mais comum ver esse tipo de parede e com o pensamento no meio ambiente, com certeza, essa é uma ótima opção para tornar a sua casa mais bonita, agradável e contribuir com uma cidade mais limpa.

Existem diversas opções de muros verdes, a mais comum é feita com trepadeiras que em pouco tempo dominam o espaço do muro. Uma dica para que ela se multiplique rapidamente é plantá-la em diversos pontos, assim é mais fácil do muro ser coberto em toda a sua extensão. Não se esqueça de fazer manutenção com podas e regas, conforme o tipo de planta que você optar.

Outra opção que tem se tornado comum é utilização de garrafas pet para decorar as paredes internas dos muros. Você pode cortar várias garrafas ao meio e plantar dentro delas, depois é só as fixas na parede com pallets. Uma dica bacana é fazer uma pequena horta de temperos nas garrafas. Além de bonito e cheiroso, você ainda pode usar no dia a dia.

Muros de pedra

Os muros de pedra são uma ótima opção para tornar sua casa mais elegante e valorizar seu imóvel. Um ponto muito positivo é o baixo custo de manutenção, uma vez que além de bastante duráveis, não há a necessidade de pintura, como acontece em paredes de alvenaria comuns. Um ponto negativo é o custo do material e da instalação.

Dentre os diversos tipos de pedra, as mais comuns são: ardósia, pedra madeira, miracema e pedra ferro.

Muros de cerâmica e porcelanato

A variedade de porcelanatos e peças de cerâmica é enorme e em alguns casos é uma opção mais barata que a instalação de pedras decorativas. Isso não quer dizer que essas opções não sejam tão belas quanto as pedras, muito pelo contrário, alguns porcelanatos têm texturas que se assemelham a pedras ou madeira, por isso, as possibilidades são muitas.

Todas essas opções vão valorizar sua casa, tornar o ambiente muito mais agradável, diminuir os custos de manutenção e o melhor, sem perder a segurança.
Fonte: http://www.meuportoseguro.com.br/residencia-mais-segura/muros-residenciais-deixe-sua-casa-mais-bonita-sem-perder-a-seguranca/

Saiba Mais
residenciasegura-como-evitar-que-idosos-sofram-quedas-dentro-de-casa-01

Como evitar que idosos sofram quedas dentro de casa?

Com o crescente aumento da expectativa de vida e, consequentemente, da população de idosos, é cada vez mais importante pensarmos em soluções para mantê-los protegidos e seguros. Nesse contexto, um dos tópicos mais relevantes é como evitar que eles sofram quedas dentro de casa.

Pensando nisso, no post de hoje mostraremos algumas dicas e soluções que irão promover a segurança para idosos dentro de casa, permitindo que eles circulem pelo lar com menores chances de cair e se machucar. Continue a leitura!

1. Escolha os sapatos e roupas adequados

O sapato certo pode fazer toda a diferença na hora de evitar que o idoso caia dentro de casa! Invista em calçados fechados e com solas antiderrapantes. É muito importante que o sapato fique preso bem firmemente ao pé do idoso — portanto, evite chinelos! Se for usá-los, devem ser apenas modelos com elástico na parte de trás, que mantém o chinelo firme no pé.

O idoso não deve andar pela casa descalço ou apenas de meia. Da mesma forma, sapatos com saltos mais altos do que dois centímetros são inadequados para a segurança. E para evitar tropeções, fique atento para que o idoso não use calças e saias largas ou compridas demais.

2. Invista na boa iluminação da casa

Por mais que o idoso seja familiarizado com o ambiente da casa, invista em uma iluminação eficiente para que ele consiga perceber exatamente o que está ao seu redor.

Do mesmo modo, procure manter os interruptores em fácil alcance, próximos à porta de entrada de cada cômodo, para que possa acender a luz facilmente. Outra sugestão é investir em luzes com sensor de movimento.

3. Tenha cuidado com móveis e decoração

[Residência+Segura] Como evitar que idosos sofram quedas dentro de casa 02

A segurança para idosos tem prioridade sobre a beleza do ambiente! Objetos decorativos como tapetes e vasos são um chamariz para acidentes e, portanto, devem ser evitados. O mesmo vale para móveis que fiquem posicionados no meio do caminho, como mesas de centro. Você até pode ter tapetes pela casa — mas estes devem, obrigatoriamente, ser bem fixados ao chão com materiais adesivos, por exemplo.

A ideia é deixar a circulação o mais livre possível, sem obstáculos para o idoso. Por isso, também é aconselhável manter todos os fios da casa presos à parede. Da mesma forma, procure manter a casa livre de móveis com quinas — quando houver, estas devem ter protetores. Peças com cantos arredondados são muito mais seguras para eles.

Os sofás, por sua vez, não devem ser muito baixos ou excessivamente macios — características que dificultam o ato de o idoso se levantar sozinho.

4. Tenha atenção aos pisos e escadas

Os pisos devem ser de materiais antiderrapantes. Da mesma maneira, se a casa tiver escadas, todos os degraus devem ser revestidos com faixas antiderrapantes — afinal, quedas da escada são ainda mais perigosas!

Pelo mesmo motivo, escadas sem corrimão devem ser evitadas. Além disso, é preciso ter muito cuidado para que o piso seja linear. Para o idoso, qualquer discrepância no chão pode ocasionar uma queda.

5. Instale barras de segurança

A instalação de barras de segurança em espaços estratégicos — no box, ao lado do vaso sanitário e ao lado da cama, por exemplo — oferece segurança e conforto para que o idoso possa sentar-se, levantar-se e tomar banho com independência e tranquilidade.

Se ele tiver dificuldades para se abaixar, mantenha uma cadeira de plástico firme no box, para ele poder tomar banho mais facilmente e com menos riscos. Também é essencial que o cômodo tenha um tapete antiderrapante.

6. Mantenha objetos ao alcance do idoso

[Residência+Segura] Como evitar que idosos sofram quedas dentro de casa 03

Objetos que o idoso usa cotidianamente não devem ser guardados nas partes mais baixas ou mais altas de armários, estantes, prateleiras, etc. Mantenha o que ele usa com frequência em um local que ele possa acessar sem ter que abaixar-se ou tentar alcançar no alto. No quarto do idoso, por exemplo, ele deve ter acesso ao interruptor ou a um abajur ao lado da cama, para não ter que se levantar no escuro total.

Também é importante instruir o idoso a nunca trancar a porta do quarto ou do banheiro. Além de facilitar sua saída do cômodo, o hábito permite que, no caso de algum acidente, alguém possa ajudá-lo mais facilmente.

7. Identifique a causa do problema

Implementar essas medidas em seu lar é essencial mas, muitas vezes, pode não ser o suficiente para proteger o idoso. Se ele continua não conseguindo se mover pela casa com tranquilidade, mesmo com todas as medidas de segurança, a causa de seu desequilíbrio é, provavelmente, interna.

Verifique se isso não é efeito colateral de algum medicamento ou se ele está tendo dificuldades de visão ou de locomoção. O envelhecimento, naturalmente, dificulta a movimentação e o equilíbrio — mas alguns remédios ou doenças (como diabetes, hipertensão arterial, artrose e insuficiência cardíaca) podem tornar a situação mais complicada. Afinal, como mostraremos no tópico seguinte, cuidar da saúde também é fundamental para manter a segurança do idoso!

8. Invista em exercícios e alimentação saudável

Não são apenas mudanças no lar que melhoram a segurança para idosos. Uma alternativa excelente e que traz muitos benefícios — mais independência, saúde, felicidade e socialização — é incentivar o idoso a praticar exercícios físicos.

Atividades como alongamento, caminhada e exercícios na água melhoram a respiração, a circulação, o equilíbrio e a força muscular dos idosos. Dessa forma, eles terão mais força e segurança para circular pela casa — e pelas ruas — e, consequentemente, menos chances de cair e se machucar.

Dica: procurando uma atividade diferente e dinâmica? Cada vez mais especialistas têm reconhecido a qualidade do tai chi chuan para a terceira idade! A arte marcial promove o equilíbrio, a concentração e a coordenação motora, trazendo grandes benefícios à qualidade de vida, saúde e independência dos idosos.

A alimentação também cumpre um papel importante para alcançar esse objetivo. Invista em um cardápio rico em cálcio e vitamina D, que fortalece os ossos.

Residência Mais Segura

O Residência Mais Segura é um programa do Porto Seguro Residência, que tem como objetivo levar informação ao público, atuando na prevenção de acidentes domésticos, principalmente com crianças e idosos, e oferecendo dicas de sustentabilidade e de proteção ao imóvel.

 

Fonte: http://www.meuportoseguro.com.br/residencia-mais-segura/como-evitar-que-idosos-sofram-quedas-dentro-de-casa/

Saiba Mais
auto-dicas-para-fazer-um-seguro-automovel-para-pessoas-com-deficiencia

Dicas para fazer um seguro automóvel para pessoas com deficiência

A população brasileira que declara ter algum tipo de deficiência soma 45,6 milhões de pessoas, segundo dados do IBGE. Muitas delas são ativas e dirigem seu próprio automóvel. A Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva contabilizou quase 100 mil carros vendidos para pessoas com deficiência em 2015.

Na hora de contratar o seguro do carro, algumas dúvidas podem surgir referentes ao valor da importância segurada ou sobre as cláusulas e coberturas. Confira no nosso artigo de hoje como funciona!

Conceito de pessoa com deficiência

Uma pessoa com deficiência pode integrar um público mais abrangente que simplesmente os que nascem ou adquirem deficiências visuais, auditivas e motoras. Podem ser pessoas com hérnia e outros problemas, incluindo as que passaram por cirurgias de seios, que são incluídas nessa categoria por apresentarem limitações temporárias que afetam, acima de tudo, sua mobilidade ou outras condições.

Tabela FIPE e indenização

A tabela Fipe é referência para os preços médios dos veículos no mercado brasileiro. Os dados são apresentados todo mês, depois que são realizadas pesquisas de mercado da Fundação de Pesquisas Econômicas (FIPE).

A indenização do seguro de veículo é referenciada no valor médio da Tabela FIPE do mês de seu pagamento (não do mês de contratação do seguro). Assim, fica sujeita a valorização e a desvalorização, de acordo com o valor atual do veículo no mercado.

No seguro auto, pode-se contratar até 100% da Tabela FIPE, mas isso dependerá de fatores diversos, que variam de seguradora para seguradora. Quando contrata-se mais do que aquele valor, o segurado poderá receber 100% mais acréscimo escolhido em casos de perda total do veículo ou roubo.

Pessoas com deficiência têm, por lei, isenção tributária (IPI e ICMS) na aquisição de automóveis zero quilômetro. Ao contratar seguro para o veículo, no entanto, essa redução tributária se reflete também na importância segurada, o que quer dizer que, ao receber indenização em caso de sinistro com perda total, esse segurado não receberá 100% do valor de tabela do veículo.

É comum, no mercado, as indenizações não passarem de 75% do valor de avaliação. Isso porque, quando há um sinistro de indenização integral é preciso quitar os tributos. E quando é a seguradora quem faz a quitação desses impostos, o valor respectivo costuma ser descontado da indenização. E quem usa desse benefício fiscal para adquirir um carro, apenas pode usá-lo novamente depois de dois anos.

Descontos e impostos

IPI e ICMS são impostos que incidem na contratação de seguros de veículos, sendo o IPI um imposto federal. Já o ICMS pertence ao estado. Os descontos podem variar, mas seu percentual fica entre 20% e 35%.

Para contratar seguros com isenção desses impostos, existem algumas condições e nem todos os clientes se encaixam nelas. As pessoas com deficiência sejam elas condutoras ou não, podem ter direito à isenção. É preciso que a junta médica do Detran avalie e confirme esse direito.

Cobertura Porto Seguro Auto

Neste cenário, o Porto Seguro Auto traz a Cláusula Despesas Extraordinárias, que repõe 100% do valor de mercado do automóvel e garante a quitação total dos impostos.

Agora, em casos de sinistros de indenização integral, o segurado poderá ter a restituição limitada à tabela FIPE, sem depreciação decorrente dos impostos que serão quitados pela seguradora.

Além desse diferencial, os clientes que contratam esse tipo de seguro também contam com outras coberturas, como: assistência 24h para o carro, desconto na franquia do carro extra, estacionamentos com até 30% de desconto, aluguel de automóveis, reparos de eletrodomésticos, serviços emergenciais à residência, reposição do valor do veículo 0km por até seis meses, utilização de mais de 270 Centros Automotivos da Porto Seguro, entre outros.

Dica de aplicativo

O Porto Seguro Auto também tem parceria com o aplicativo Guia de Rodas, que funciona como um guia colaborativo para consulta e avaliação da acessibilidade de estabelecimentos para pessoas com dificuldade de locomoção. Por ele, são avaliados restaurantes, supermercados, lojas, cinemas, farmácias, consultórios, teatros, baladas etc. O objetivo é facilitar a vida de todas as pessoas com algum tipo de dificuldade de locomoção, sejam cadeirantes, idosos, gestantes, mães com filhos pequenos e tantas outras limitações físicas e funcionais.

Fonte: http://www.meuportoseguro.com.br/meu-carro/seguro-auto/dicas-para-fazer-um-seguro-automovel-para-pessoas-com-deficiencia/

Saiba Mais